terça-feira, 12 de maio de 2009

Viva o presente!

Viva o presente!
Já tive stress e depressão por viver o presente com acúmulos de atividades e não ter tempo para dedicar a mim e a família.
Ao realizar a leitura do texto “Em busca de uma ancestralidade brasileira”, de Daniel Mundurucu, uma parte em especial me chamou atenção:
“Entre os índios não existe crise existencial. Paro e pergunto por quê. Constato que entre os povos indígenas não existem angústias. As crises nascem da angústia. A angústia nasce da necessidade de escolher...Isso vira um círculo vicioso e o vício torna a vida uma busca insana pela felicidade que, dizem, se encontra no conforto, na fuga da dor, no consumo.O consumo por sua vez, torna as pessoas egoístas e o egoísmo trás solidão e a solidão tristeza e a tristeza a falta de alegria e a falta de alegria gera angústia, trás a crise e esta é caudada pela falta de rituais que dêem sentido a existência das pessoas.As pessoas não tem onde se apegar, pois não tem uma tradição, uma ancestralidade.
Onde quero chegar? Quero chegar no presente. O índio não tem crise existencial porque vive no presente, sem esquecer o passado e sem desejar o futuro. Ouvido meu sábio avô mais esta máxima: se o momento atual não fosse tão bom, não teria o nome presente. Querem coisa mais sábia? O nosso grande presente, o presente que a vida nos proporciona é justamente o agora. Entre os índios Mundurucu e outros que conheci, toda vez que se recebe um presente usa-se na mesma hora. E sabem por quê?Porque presente não se usa no futuro.”
A partir desta leitura refleti e procurei viver mais o presente, não deixo de fazer planos para o futuro mas procuro viver com mais qualidade o momento que a vida proporciona agora!!!

Um comentário:

Luciane Mota disse...

Raquel,concordo contigo em vivermos hoje, mas não esquecendo do passado, até porquê, somo diferentes etnicamente, e como relataste os índios vivem a vida desta maneiras e contribuem para nós pensamos um pouco em não vivermos na angústia do amanhã, por isso a riqueza e contribuição das diversas culturas, para vivermos melhor. Beijos.